Review Catan

Posted by:

catan_grow

          Uma ilha recém descoberta pela civilização, com seus recursos nunca explorados, inúmeras oportunidades de comercio e prosperidade. Mas como sempre, o povo que se desenvolver primeiro terá melhores chances na colonização dessa nova ilha!

O Jogo:

          Em Colonizadores de Catan o objetivo é desenvolver sua colonia antes das outras mas, para isso, terá que explorar os recursos da ilha e suas habilidades comerciais. Há muitos recursos na ilha de Catan porém, nem sempre eles estão disponíveis para todos, isso dependerá de quem chegou primeiro no local de produção e da frequência com que eles são produzidos.

          O tabuleiro é completamente modular e aleatório, tornando cada partida única, assim sua estratégia tem que se adaptar para a partida atual.

          Ganhador de 4 prêmios, sendo um deles o Jogo do Ano de 1995, Colonizadores de Catan já é bem difundido, mas sempre tem quem não conheça e é por isso que escrevo esse texto.

Componentes:

          O jogo conta com peças hexagonais que formam o tabuleiro, peças de estrada, vila e cidade para cada jogador, cartas para os recursos e desenvolvimentos e os dados. Há uma infinidade de edições, versões e algumas expansões, então eu falar dos componentes pode gerar algumas informações falsas, isso vai depender da versão que você jogar.

          Atualmente Colonizadores de Catan é produzido pela Grow aqui no Brasil, com componentes de papel e plástico.

Game Play:

          As peças hexagonais e bordas de tabuleiro são embaralhadas, juntando as bordas forma-se o contorno. Dentro desse contorno as peças de terreno são colocadas aleatoriamente, das bordas para o centro, formando a geografia de Catan. Para finalizar, as fichas numeradas são destribuídas aleatoriamente, uma por terreno, sem deixar os números vermelhos adjacentes e sem colocar nenhuma ficha no terreno do deserto.

          Os jogadores escolhem duas cores e decidem de modo aleatório o primeiro jogador. Então o primeiro jogador escolhe o vertice do tabuleiro que a sua primeira aldeia irá ocupar. Isso determina quais recursos aquela aldeia podera produzir durante a partida, os números indicam qual a probabilidade daqueles recursos serem produzidos num turno, sendo os vermelhos os mais prováveis. Os números vão de 2 a 12, mas o sete não existe, explicarei mais adiante.

          Há alguns detalhes para colocar e construir outras aldeias, mas que apenas vão embaraçar suas ideias aqui, se houver interesse em jogar, é melhor aprender esses detalhes na hora.

          Após todos colocarem as duas primeiras aldeias e pegarem seus recursos iniciais o primeiro jogar inicia o jogo propriamente dito. Rolando os dois dados, o jogador determina quais terrenos produzem, e os jogadores que possuirem aldeia próximas a esse terreno recebem uma carta deste recurso, mesmo que não esteja em seu turno. Também pode acontecer do jogador rolar um número correspondente a um terreno que ele próprio não possua aldeia adjacente, ou até mesmo, que ninguém possua.

          Uma rolagem sete é especial, mas calma, que já explico ela.

          Após todos pegarem seus recursos, então o jogador da vez pode construir e/ou negociar recursos.

          Para construir alguma coisa, o jogador deve entregar os recursos correspondentes ao que deseja ao banco, após isso ele pode colocar no tabuleiro. Além de construir, o jogador pode comprar cartas de desenvolvimento, que são cartas com alguns benefícios que podem ser utilizados pelo jogador. Esses benefícios vão desde alguns recursos extra até pontos de vitória.

          Para trocar recursos, as negociações são livres, com apenas uma restrição, não é possível trocar um recurso pelo mesmo recurso, exemplo: trocar duas cartas de madeira por uma carta de madeira, ou qualquer outra troca que em ambos os lados ofereçam o mesmo recurso. Outra opção é trocar 4 recursos de mesmo tipo por 1 de outro tipo, diretamente com o banco, ou ainda, caso você tenha uma aldeia ou cidade num porto, é possível fazer uma troca com a vantagem indicada no tabuleiro.

          Mas porque essa busca desenfreada de recursos e construções e desenvovimento? Para que sua colonia seja soberana sobre Catan, isso é representado pelos pontos de vitória, quando alguém atinge 10 pontos de vitória, é o vencedor.

          Mas e o sete? Quando alguém rola um sete, todos que tiverem mais que 7 cartas, devem devolver metade de seus recursos para o banco (inclusive o jogador da vez), e quem rolou o sete deve trocar o ladrão (que inicia a partida no deserto) para outro hexagono. Assim que o jogador coloca o ladrão nesse novo hexagono, ele pode escolher um dos jogadores, que tenham alguma aldeia ou cidade adjacente a essa peça, para roubar um recurso aleatóriamente de sua mão, caso haja recurso. O hexagono que está com o ladrão em cima, fica impossibilitado de produzir seu recurso até que o ladrão saia.

Dicas:

          Sou meio suspeito de falar de Catan, pois foi o jogo que me trouxe para o mundo dos jogos de tabuleiros modernos, eu gosto muito e jogo ele há anos.

          A interação entre os jogadores, por conta da negociação e da necessidade de sempre ficar atento às rolagens de dado e de tentar acompanhar o que cada um tem na mão, são o que considero como os pontos fortes do jogo.

          Outro ponto forte é a altíssima rejogabalidade, pois o tabuleiro é montado aleatoriamente e dificilmente você jogará no mesmo cenário.

          Se você não gosta de jogos de sorte, talvez se irrite com o fato de haver rolagens de dado, mas ressalto que esse fator não é decisivo nas partidas.

          ATENÇÃO! No caso de Catan, essa dica é ainda mais importante: Essa dica aparecerá em todas as minhas reviews. Se você tem um grupo que joga sempre e você gosta deste grupo tudo bem, mas se conheceu qualquer jogo em um grupo não usual, antes de decidir se gostou ou não, experimente uma partida com outras pessoas. Pode parecer óbvio, mas a diversão pode ser muito maior com as pessoas certas.

 

0
  Artigos Relacionados
  • No related posts found.

Add a Comment