Com Dungeon ou Sem Dungeon, Eis a Questão

Posted by:

Uma campanha de fantasia certamente pode ser ambientada em qualquer cenário, mas argumentar contra o mais icônico de todos eles soa no mínimo como uma heresia para mim.

Alguns jogadores são da opinião de que os dungeons são um elemento de vital importância aos RPGs de fantasia, enquanto outros argumentam que eles estão tão distantes de qualquer experiência no mundo real que acabam na verdade restringindo a interpretação (role play) e por conseqüência uma verdadeira experiência de jogo.

Como devoto fervoroso de uma forma mais Old Schhol de se jogar RPG, considero os dungeons (na verdade os Tunnels, mas isso já é uma outra história) como uma parte fundamental do jogo e um ótimo lugar para iniciar novos jogadores.

Alem de mantê-los confinados a um cenário restrito e mais facilmente controlável, ainda assim o dungeon dá a eles a ilusão de infinitas possibilidades e escolhas, que fazem o RPG parecer tão mágico para quem está jogando pela primeira vez.

Em defesa do bom e velho Dungeon ainda tenho o forte argumento de que ele é um elemento tão arraigado e natural ao RPG, que serviu inclusive como nome de batismo ao primeiro deles: Dungeons & Dragons (e influenciou fortemente o segundo, Tunnels & Trolls).

Para os que afirmam que não há nada de original nesta forma de RPG e que todo dungeon na verdade é somente um fluxograma de opções e ações para um grupo de jogo, eu digo sim, isso é verdade – e em parte é essa a função de um dungeon.

Mas existem uma série de medidas que podem ser tomadas para evitar o lugar comum e impedir que suas aventuras se tornem maçantes e repetitivas.

Então, se você é um mestre saudoso dos seus primórdios no RPG ou um jogador que de tanto ouvir falar nesse diabo de Old School ficou curioso para experimentar, aqui vão algumas dicas e vantagens para esta forma de se encarar o jogo.

Se você esta se iniciando no árduo caminho do Mestre, existe uma série de inconvenientes, bastante comuns em qualquer seção com jogadores inexperientes e que certamente você deseja evitar:

– Jogadores saindo da trama planejada;

– Interações imprevistas com NPCs (as lamentáveis e inevitáveis tentativas de estupro…);

– Jogadores zanzando em lugares indesejados e não descritos.

Todos estes imprevistos podem ser evitados pelo simples fato de os jogadores estarem confinados em um dungeon, já que eles irão explorar somente as áreas que você detalhar.

Além disso, como mestre, este é o local ideal para você adquirir experiência, se familiarizar com regras, situações de jogo e desenvolver histórias mais complexas a medida que os seus jogadores também amadurecem.

Comece com uma simples quest (encontrar um talismã mágico, por exemplo) e a partir dela e das reações dos seus personagens, desenvolva um campanha mais detalhada.

Com isso, seus jogadores serão iniciados no mais icônico dos cenários de fantasia e sequer vão perceber o quão limitadas eram suas ações no inicio. E você ainda ganha tempo suficiente para aprender a mestrar.

Outra grande vantagem, tanto para mestres quanto para jogadores, é que descer em dungeons é acessível para qualquer um. Existem toneladas de material gratuito para sistemas Old School de RPG na internet.

Temos Dungeonslayers – no melhor estilo Hack and slash, Old Dragon – RPG Old School 100% nacional, Mazes & Minotaurs – com o mesmo espírito, mas com mitos gregos e labirintos, Labirinth Lord e muitos, muitos outros… todos disponíveis para download gratuito.

Temos geradores de dungeons, que numeram salas, geram encontros e tesouros disponíveis. Você ainda pode configuras as dimensões, os encontros e o número e o nível dos jogadores. Confira aqui o melhor deles.

E por ultimo, mas não menos importante: jogar dessa forma é divertido! Meu grupo de jogo, formado por “tiozinhos” na faixa dos 40, ao jogar ainda reclamam, xingam e se divertem exatamente da mesma forma que faziam há trocentos anos atrás.

E o que dizer sobre esta forma de jogo prejudicar a interpretação? Bem, eu digo que um conjunto de boas e detalhadas descrições, utilizando os cinco sentidos sempre dá aos jogadores uma imagem clara o suficiente para compreender onde eles estão e como devem interagir com esse ambiente.

“Do final do corredor vem um cheiro de decomposição. Vocês podem ouvir o gotejar lento logo atrás desta porta, onde o cheiro é mais intenso. Se não fosse pelo fogo esvoaçante das suas tochas, vocês estariam na mais completa escuridão. Ao abrir a porta, vocês sentem ratos passando rapidamente sobre seus pés. Eles estão fugindo de algo, ou somente assustados com a presença de vocês?”

E você, ilustre visitante. È a favor ou contra os Dungeons?


1
  Artigos Relacionados

Comments

  1. Nyumus  Fevereiro 22, 2011

    kra mto bom o tópico e o site de vcs, continuem assim, e na minha opinião, os old school owna mtas hitórias de mestres por ai…
    mas nem por isso o d&d é essencial, depende sempre da história e do contexto q se queira jogar em uma partida…

    reply

Add a Comment