O Jogo do Exterminador Pode Virar Filme

Posted by:

Gavin Hood, o diretor de X-Men Origins: Wolverine, pode dirigir uma versão cinematográfica do popular romance de ficção científica, O Jogo do Exterminador (Ender’s Game).

Isso pode parecer uma má notícia para quem gosta do trabalho de Scott Card Orson, mas não se desespere ainda, há uma grande diferença entre a produção de O Jogo do Exterminador e Wolverine. O próprio Card escreveu o roteiro do filme e Hood e re-escreveu. Isso pode não parecer um upgrade, mas talvez seja.

Antes de assumir X-Men Origins: Wolverine, Hood dirigiu Tsotsi (Infância Roubada), um filme sobre jovens violentos em Joanesburgo. O Filme foi bastante elogiado pela crítica e lhe rendeu o Oscar de melhor filme estrangeiro de 2006.

Se considerarmos o peso de um Oscar, a participação do próprio autor no projeto e ignorarmos X-Men Origins: Wolverine, existe então uma boa chance de que saia algo realmente bom em O Jogo do Exterminador.

Confira a resenha do livro O Jogo do Exterminador, publicado no Brasil pela Devir:

No romance, Ender Wiggin é uma criança de seis anos de idade, quando é recrutado para a Escola de Combate Espacial. No futuro criado por Orson Scott Card, a humanidade está em guerra com alienígenas invasores, e muitos dos combates são travados em outros sistemas solares, distantes do nosso. Como não existe uma tecnologia de vôo mais rápido que a luz, nessa ficção científica, os muito jovens são recrutados porque eles estarão maduros quando estiveram em batalha ou quando retornarem à Terra. Usar crianças-soldados como personagens também foi um modo do autor afirmar que toda guerra é um processo de destruição da inocência.

O Jogo do Exterminador (Ender’s Game) é a história de Ender Wiggin, em quem os comandantes militares colocam todas as suas esperanças, e do que ele sofre para sobreviver ao processo de brutalização psicológica imposto às crianças na Escola de Combate. Para dramatizar esse processo e ilustrar as dificuldades da luta contra um inimigo alienígena, Orson Scott Card criou a idéia da “sala de combate”, onde as crianças ensaiam batalhas em gravidade-zero.

Hoje em dia, mesmo 21 anos depois da sua publicação original, este livro ainda é best-seller no mundo da ficção científica, e se encontra em andamento o projeto de transformá-lo em filme, atualmente na fase de pré-produção. Conforme o próprio autor informa na introdução, o livro é estudado nos mais diversos cursos, inclusive em cursos de filosofia, em classes especiais para crianças super-dotadas e em escolas militares e de negócios. Sua seqüência, Orador dos Mortos, também foi best-seller e recebeu os mesmos prêmios Hugo e Nebula, um ano depois.

O romance de ficção científica O Jogo do Exterminador foi originalmente lançado nos Estados Unidos em 1985. Ele é uma expansão da noveleta O Jogo do Exterminador, que foi a grande responsável pelo fato de seu autor, Orson Scott Card, ter recebido o Prêmio John W. Campbell, Jr. de melhor escritor estreante, em 1978. A versão romance recebeu os prêmios Hugo 1986 e Nebula 1985 – os dois principais prêmios da ficção científica em língua inglesa. O livro também está na lista de clássicos de John Clute, considerado um dos principais críticos de ficção científica. O Jogo do Exterminador foi publicado no Brasil em 1990, com esse mesmo título, pela Editora Aleph, quando recebeu o Prêmio Nova de Ficção Científica, conferido pela comunidade brasileira de FC.

A Devir o lança com uma nova tradução de Carlos Ângelo, o tradutor de Tropas Estelares (também um filme), de Robert A. Heinlein, e com uma introdução especial do próprio Orson Scott Card. Essa é a “versão definitiva” do autor, lançada nos Estados Unidos em 1991, contendo revisões e essa introdução.


0
  Artigos Relacionados

Add a Comment